Castelinho da Cotegipe: relíquia do Belenzinho!

Eu passava por ali, várias vezes por semana com meu pai:

– Olha ali o castelinho do Sr. Ferrucio.

E meus olhos viajavam pelas curvas do prédio da Rua Cotegipe. Pensava nesse homem que ali vivia, como seriam os espaços, como era a vida das pessoas na casa ou como se vestiam. As reuniões familiares, as festas, os hábitos.

Belem-Castelo-Cotegipe-destaque

O Castelinho da Cotegipe

Ao entrar no prédio depois de tantos anos para produzir este post, as perguntas deram espaço para a imaginação e passei a visualizar o ir e vir dos antigos moradores por entre os corredores iluminados, a especular o uso de cada cômodo, a ler por entre as evidências arquitetônicas. Um exercício prazeroso que gerou esta pequena homenagem ao ilustre prédio da Cotegipe.

O prédio mistura características originais com alterações datadas de diversas décadas (desde o início do século passado até anos 80), traz alguns aspectos ainda em bom estado de conservação e nos impressiona pela claridade e excelente ventilação. Viaje com a gente!

Fachada do Castelinho da Cotegipe

Ao avistarmos o castelinho ainda do lado de fora, logo nos chama a atenção os adornos por toda a fachada: os sinais da era industrial no início do século XX. As peças não eram feitas manualmente, apesar de seu ar artístico, as “gárgulas” e curvas, assim como o efeito escama da torre, todas foram feitas em formas através de processos mais fabris, longe do artesanal.

Entrada do Castelinho

Logo na entrada somos recebidos por um portão, que imaginamos ser original, datado de 1920. As duas escadarias de mármore com ladrilho hidráulico mostram o status de riqueza que o castelinho passava para toda a vizinhança. Até hoje os ladrilhos hidráulicos valorizam qualquer ambiente ou imóvel.

 

Interessante notar que entre as duas escadarias, avistamos a janela do porão: alta, ventilada. A região do Belenzinho era uma região de várzea o que fazia da construção mais elevada algo totalmente necessário evitando inclusive a umidade do terreno. Além disso, os porões deixavam as casas em nível mais elevado, dando uma impressão mais imponente ao imóvel.

Ao subir a escada, chegamos a uma varanda que hoje encontra-se envidraçada. Nesta área temos acesso às duas portas principais de entrada uma para o hall e outra que liga direto à sala principal de visita. As portas (assim como as janelas) possuem um interessante recorte geométrico ao alto.  Além das portas, a varanda abriga a janela do que acreditamos ter sido um escritório. Ali encontra-se um dos últimos vidros coloridos originais do castelinho.

Saleta de Visita

A saleta de visita principal à esquerda é iluminada pelas duas janelas da frente da casa. Ela ainda traz aplicações no teto de estuque com entalhes também pré-fabricados, próprios da era industrial. O rodapé que delineia a sala é mais alto marcando outro símbolo de status.

O chão original de madeira traz um belo trabalho de marchetaria, encontrado apenas neste ambiente. No entanto, todo o assoalho de madeira do prédio é original da época, inclusive o do espaço do hall de entrada. Ao lado da saleta temos outro ambiente, menor, sem molduras e com um pórtico de lustre mais simples, talvez uma sala íntima.

Hall de Entrada

Além da entrada direta da saleta, temos o hall de entrada do Castelo da Cotegipe que leva para o interior do imóvel. Ali encontra-se uma escada de madeira com entalhes que leva ao piso superior. Neste ambiente, encontramos um estuque bastante delicado emoldurando a escada.

Do hall pode-se acessar o escritório à direita, pelo lado esquerdo é possível acessar a saleta de visita mencionada anteriormente e a sala íntima. Seguindo em frente acessamos a sala de jantar.

Sala de Jantar 

O interessante em cada ambiente do Castelinho Cotegipe é que encontramos molduras no teto em desenhos e estilos diferentes, como se a intenção fosse individualizar cada ambiente. Na sala de jantar encontramos novos desenhos como moldura e cinco pontos de iluminação neste amplo espaço: um lustre central e quatro de apoio.

Acreditamos que todos os pontos de luz sejam originais já que não encontramos recortes no forro. A sala é toda em piso de madeira e traz janelas que ventilam o ambiente e iluminam todo o espaço dando vista para a lateral esquerda do imóvel. Além disso, à direita existe um acesso para um terraço aberto, que ventila a sala, o escritório da frente e também a sala de almoço mais ao fundo.

Ampla, em localização central do prédio, a sala de jantar é um espaço marcante e valioso mas sem uma ostentação demasiada. Ostentação esta que deveria ficar por conta de um mobiliário mais luxuoso, tapeçarias clássicas, lustres pesados.

Sala de Almoço

Após a sala de jantar, encontramos uma enorme sala de almoço, sem muitas janelas, com piso alterado e vitrôs também modificados. Como anexo, uma copa totalmente descaracterizada. Ao lado direito, o único banheiro do andar: espaçoso, servido de vitrô de iluminação e também totalmente modificado. Uma saída leva para a área externa da casa, com tanque, um banheiro pequeno e acesso para o fundo da casa.

Piso Superior

A escada leva a uma boa área de circulação. À esquerda o quarto principal que não é muito grande mas possui uma entrada exclusiva para a sala que antecede a varanda da fachada. Esta sala poderia ser um espaço para leitura, descanso.  Ela tem duas janelas e ao meio traz a porta da varanda principal.

Varanda Principal

Um dos pontos mais altos da casa, que traz a cúpula do castelinho. Imaginamos que este espaço promovia uma vista de tirar o fôlego no início do século passado. Ainda conseguimos avistar ao fundo a serra, um pouco do centro e avistamos o que é hoje o bairro da Vila Maria.

As colunas são também pré-fabricadas e os balaústres em toda a varanda são charmosos assim como o ladrilho hidráulico do piso. Um ponto para ver e ser visto no castelinho da Cotegipe.

Outros Quartos do Castelinho

Os quartos do piso superior da frente repetem o piso abaixo. Ao lado direito temos o segundo quarto com janelas em diagonais que estão na frente da casa e o terceiro quarto conjugado por uma porta também sem muitas molduras, mostrando ser de menor importância.

Seguindo para os fundos da casa, passamos pelo quarto cômodo muito bem arejado por duas janelas que dão vista lateral da casa. Acessamos este quarto por meio de um corredor largo que traz duas enormes janelas de vidros originais que também iluminam e arejam todo o pavimento.

Por meio destas janelas podemos verificar as telhas Francesas que parecem ser originais, muitas camadas de tintas descascadas no lado externo e poucos beirais no teto.  Na parede oposta à das janelas observamos, como acontece também em outros cômodos, as marcas bem delineadas de quadros, terços e talvez molduras de retratos que permaneceram ali por muito tempo, como se fossem “digitais” do imóvel.

Indo em direção da sala de banho, passamos à esquerda por um quarto pequeno, com uma janela que também dá para a lateral e com características de menor importância quando comparado aos outros cômodos.

Sala de Banho

Este foi o ambiente mais enigmático para decifrarmos a história. Existe, ao lado do direito do corredor uma ante-sala e um banheiro bem espaçoso. Acreditamos que esta saleta antes da sala de banho tenha sido feita depois da construção original, mas como o banheiro só tem uma entrada entendemos que aquele seria um espaço único, de tamanho maior.

A saleta tem uma janela com vista para a lateral da casa (corredor com janelas e na parte de baixo para a varanda da sala de jantar) e uma pia atualizada.

No outro ambiente iluminado e ventilado por um vitrô, temos o chuveiro aonde entendemos que seria a banheira antigamente e uma banheira moderna na lateral que deve ter sido removida para dar espaço ao chuveiro.

Varanda Fundos

No final do corredor, temos uma varanda coberta mas que foi fechada posteriormente com vidros. Ela dava vista para todo o quintal da propriedade ao fundo e funcionava como um quintal coberto.

Este espaço também ajuda na ventilação de todo o pavimento superior da casa e tem ligação por uma porta simples com a parte interna da casa, sem acesso por quartos ou outros ambientes.

Nosso Bairro

Após visitarmos o famoso Castelinho da Cotegipe, exercitamos nossa imaginação e ficamos mais curiosos ainda com as peculiaridades do prédio. Pretendemos explorar muito mais deste nosso querido bairro, o Belenzinho. Acompanhe em nosso blog!

 

Fotos: Daniel Zuleta, exclusivas para Blog Imobiliaria Paulo.

Todos os direitos reservados ao autor.

 

20 Respostas para "Castelinho da Cotegipe: relíquia do Belenzinho!"

  1. Excelente trabalho.Belo resgate.
    Esse imóvel há muitos anos atiça a minha curiosidade.Adorei conhece-lo.

    • Paulo Imóveis

      Obrigada Rachel, também adoramos conhecer mais de nosso bairro! Apareça sempre por aqui em nosso blog.

  2. Beatriz Peyrelongue Azpiri

    Tão lindo quanto o Castelinho, são os relatos e percepções dos olhos de restauradora da autora!!!

    Parabéns, Dri!

    Lindo!

    • Paulo Imóveis

      Obrigada pelo carinho Beatriz! Bjs

  3. sou cunhada do hermelindo bruno, filho do dono do castelinho, frequentei muito esse castelo, realmente é de uma nobreza sem igual, sempre chamou a atenção pela sua imponencia, sua beleza, era visto por todos como uma obra de arte, de um construtor de epoca, que delicia foi passear e frequentar esse castelo beijinhosm parabens p essa belezura de fotos, da pra gente guardar por toda vida

    • Paulo Imóveis

      Olá Vilma, guarde sim com muito carinho as fotos e aguarde a sessão de fotos do castelinho em Preto e Branco, estão lindas! Obrigada

  4. Cezar

    Adriana, parabéns pelo trabalho realizado, realmente muito emocionante, foi uma viagem no tempo, que saudades, obrigado, bjs,

    • Paulo Imóveis

      Obrigada Cezar, continue a seguir nosso blog e “mate” mais saudades! Abçs!

  5. Outro enfoque na venda. Lindas fotos!!!

    • Paulo Imóveis

      Obrigada Ivan, além de outro enfoque nas vendas, queremos resgatar estes tesouros de nossa região! Aguarde a sessão em P&B!

  6. Solier

    esse castelinho é sensacional, ele é tombado? e sua arquitetura é bem imponente. No Belém há varias joias imobiliárias antigas, diversos casarões fantásticos, mais ainda tem muitos abandonados, espero que muitos sejam tombados e comprados para fins culturais… O bairro Belenzinho é um bairro muito agradável que esta crescendo cada vez mais nos comércios, imóveis de alto padrão e em fatores de lazer, além de ter belas ruas…

    • Paulo Imóveis

      Olá Solier, queremos trazer mais imóveis do Belenzinho e suas histórias aqui em nosso blog. O imóvel não é tombado e só valoriza ainda mais nossa região, concorda? Aguarde as fotos em preto e branco, vc irá gostar! Obrigada

  7. Olá.
    Há possibilidade de fazer um sessao de fotos para meu portifólio ,nesta casa deslumbrante?
    Amei ela …quem pode me orientar nesta questão??

    • admin

      Olá Bianca, encaminharemos para a responsável da imobiliária que falará com você! Obrigada, a casa é linda mesmo!

  8. Adriana
    Parabéns pelo comentário , muito bem feito e rico em detalhes. ” Coisas de quem conhece o ramo “.
    Frequentei muito essa propriedade, junto com minha mãe, que era amiga da proprietária, pessoa maravilhosa, muito amável e inteligente.
    Parabéns
    Waldir Barreira

  9. Parabéns pelo trabalho, fiquei completamente apaixonado pelo casarão. Incrível!

    • admin

      Olá Almiro, muito obrigada!

  10. Que lindo imovel! Ao ler o texto e ver as fotos eu literalmente viajei no tempo. Também fiquei imaginando como era o mobiliário e como as pessoas se vestiam na época de sua inauguração . Realmente uma pérola . E nada como um olhar arquitetônico para descrever em detalhes minuciosos essa belíssima construção .

    • Imobiliária Paulo

      Que bom que gostou! Obrigada por visitar o nosso site.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: